Leis trabalhistas

Área destinada à discussão sobre Laicismo e Política e a imparcialidade do tratamento do Estado às pessoas.
Discussões sobre economia e sistemas econômicos também se encontram aqui.

É a favor ou contra leis trabalhistas?

1) Tem que acabar completamente com leis trabalhistas como CLT, pois isso impede de se contratar mais pessoas.
1
13%
2) Tem que acabar, mas, gradualmente, e não bruscamente, até isso ser adaptado até ser assimilado pelo patrões e pela população.
3
38%
3) Não! Pois poderia abrir espaço pra patrões que abusariam disso pra pagar menos e usar mão-de-obra escrava e semi-escravo, como era no século 19 antes de se elaborar leis trabalhistas pra proteger os empregados de serem explorados.
3
38%
4) Outro não citado.
1
13%
 
Total de votos: 8

Re: Leis trabalhistas

nuker
Mensagens: 143
Registrado em: Sáb, 23 23America/Sao_Paulo Outubro 23America/Sao_Paulo 2021 - 17:19 pm

Mensagem por nuker »

Imposto sindical, assim como fundo partidário é um absurdo! Assim como o IPVA.

Re: Leis trabalhistas

Avatar do usuário
Titoff
Mensagens: 1127
Registrado em: Ter, 17 17America/Sao_Paulo Março 17America/Sao_Paulo 2020 - 11:47 am

Mensagem por Titoff »

Viram que falta mão de obra para alguns trabalhos nos EUA e Canada?
Alguns negócios chegaram a fechar em alguns horários, ou oferecer um salario acima do mercado (do mercado de uns dois anos atrás ao menos) para poder continuar funcionando.

Há empresários que culpam auxilio do covid e assistencias governamentais semelhantes dizendo que "ninguem quer trabalhar por estar recebendo grana do governo." Mas não parece ser isso. Primeiro que negócios receberam até mais dinheiro que as pessoas como auxílio, e segundo que parece que foi depois que os auxílios pararam que ocorreu a maior parte dos pedidos de demissão, quebras de contrato, etc.

Parecem ser dois motivos principais: muitos trabalhadores se aposentaram mais cedo durante a pandemia, e mais jovens simplesmente não acham que determinados trabalhos valham mais a pena, mudando de area, voltando para a casa dos pais, ou, se casados, um ficando em casa. Nesse último exemplo, ganhando um salário baixo e tendo que arcar com custo de creche para os filhos, transporte, etc., não se justifica trabalhar em muitos casos. "Posso ficar sem os 200 dolares a mais no fim do mês e eu mesmo crio meus filhos," foi uma explicação que ouvi e li mais de uma vez.

Há também um grupo crescente de insatisfeitos com salários, custo de vida, tratamento e quantidade de horas indignas, e perda de direitos. A mentalidade nesse caso é "eu não ganho pra isso." Houve greves na john deere e na kellogs em que os trabalhadores saíram vitoriosos depois de uma forte guerra de braço com os patrões. Esses empregados vêem os CEOS e acionistas comemorando lucros recordes, salários milionários, comprando um iate para atracar do lado do iate maior, e escutam ser impossível terem um aumento por menor que seja, ou simplesmente contratar mais gente para aliviar os turnos.

A john deere tentou colocar o pessoal de escritório no chão de fábrica para substituir os grevistas. Eram, no papel, capazes de exercer essas funções pelo o que entendi, mas na primeira semana já apareceu ambulância na fábrica, e a galera de escritório começou a apoiar os grevistas.

A frito-lays enfrentou greve pois os trabalhadores não aguentavam mais o que eles chamavam de "turnos do suicidio" e/ou "turnos do divórcio." Chegavam a trabalhar meses a fio, sem dia de descanso, as vezes por 12h por dia. Totalmente bizarro que algo assim seja legal no EUA.

A kellogs chegou a tentar contratar pessoas para furar a greve, mas acabou recebendo uma enxurrada de curriculos falsos e ataques ao sistema por pessoas que se solidarizaram com os trabalhadores. Inclusive, o apoio a sindicatos nos EUA esta em 65%, algo que não se ve desde os anos de 1950.

É bom esses trabalhadores aproveitarem o momento para conseguirem melhores salarios, pensões e legislação, pois isso não vai durar para sempre.

Re: Leis trabalhistas

O organoléptico
Mensagens: 312
Registrado em: Seg, 22 22America/Sao_Paulo Novembro 22America/Sao_Paulo 2021 - 19:31 pm

Mensagem por O organoléptico »

Titoff escreveu:
Seg, 17 17America/Sao_Paulo Janeiro 17America/Sao_Paulo 2022 - 05:15 am
Viram que falta mão de obra para alguns trabalhos nos EUA e Canada?
Alguns negócios chegaram a fechar em alguns horários, ou oferecer um salario acima do mercado (do mercado de uns dois anos atrás ao menos) para poder continuar funcionando.

Há empresários que culpam auxilio do covid e assistencias governamentais semelhantes dizendo que "ninguem quer trabalhar por estar recebendo grana do governo." Mas não parece ser isso. Primeiro que negócios receberam até mais dinheiro que as pessoas como auxílio, e segundo que parece que foi depois que os auxílios pararam que ocorreu a maior parte dos pedidos de demissão, quebras de contrato, etc.

Parecem ser dois motivos principais: muitos trabalhadores se aposentaram mais cedo durante a pandemia, e mais jovens simplesmente não acham que determinados trabalhos valham mais a pena, mudando de area, voltando para a casa dos pais, ou, se casados, um ficando em casa. Nesse último exemplo, ganhando um salário baixo e tendo que arcar com custo de creche para os filhos, transporte, etc., não se justifica trabalhar em muitos casos. "Posso ficar sem os 200 dolares a mais no fim do mês e eu mesmo crio meus filhos," foi uma explicação que ouvi e li mais de uma vez.

Há também um grupo crescente de insatisfeitos com salários, custo de vida, tratamento e quantidade de horas indignas, e perda de direitos. A mentalidade nesse caso é "eu não ganho pra isso." Houve greves na john deere e na kellogs em que os trabalhadores saíram vitoriosos depois de uma forte guerra de braço com os patrões. Esses empregados vêem os CEOS e acionistas comemorando lucros recordes, salários milionários, comprando um iate para atracar do lado do iate maior, e escutam ser impossível terem um aumento por menor que seja, ou simplesmente contratar mais gente para aliviar os turnos.

A john deere tentou colocar o pessoal de escritório no chão de fábrica para substituir os grevistas. Eram, no papel, capazes de exercer essas funções pelo o que entendi, mas na primeira semana já apareceu ambulância na fábrica, e a galera de escritório começou a apoiar os grevistas.

A frito-lays enfrentou greve pois os trabalhadores não aguentavam mais o que eles chamavam de "turnos do suicidio" e/ou "turnos do divórcio." Chegavam a trabalhar meses a fio, sem dia de descanso, as vezes por 12h por dia. Totalmente bizarro que algo assim seja legal no EUA.

A kellogs chegou a tentar contratar pessoas para furar a greve, mas acabou recebendo uma enxurrada de curriculos falsos e ataques ao sistema por pessoas que se solidarizaram com os trabalhadores. Inclusive, o apoio a sindicatos nos EUA esta em 65%, algo que não se ve desde os anos de 1950.

É bom esses trabalhadores aproveitarem o momento para conseguirem melhores salarios, pensões e legislação, pois isso não vai durar para sempre.
Mesma verdade dos fatos de sempre. Empregos comuns, em que não é exigido nada de especial para a função que são para a maioria da população vão se tornar inviáveis com a outorga de direitos e maior remuneração artificiais, fazendo valer a lei natural de oferta e procura, na qual prevalece a lógica da contratação de trabalhadores onde os salários oferecidos são não só bem vindos mas implorados, casos históricos da China, Índia, e tantos outros países com imensas massas ociosas de gente precisando trabalhar.
Editado pela última vez por O organoléptico em Seg, 17 17America/Sao_Paulo Janeiro 17America/Sao_Paulo 2022 - 11:17 am, em um total de 2 vezes.

Re: Leis trabalhistas

Tutu
Mensagens: 617
Registrado em: Qui, 09 09America/Sao_Paulo Abril 09America/Sao_Paulo 2020 - 17:03 pm

Mensagem por Tutu »

A frito-lays enfrentou greve pois os trabalhadores não aguentavam mais o que eles chamavam de "turnos do suicidio" e/ou "turnos do divórcio." Chegavam a trabalhar meses a fio, sem dia de descanso, as vezes por 12h por dia. Totalmente bizarro que algo assim seja legal no EUA.
Qual é a dificuldade do desempregado dizer que não aceita mais que 12 horas? Lá o salário é calculado por hora. Se eu fosse empresário estaria abrindo 3 vagas de 8 horas em vez de 2 de 12. O custo seria muito próximo mesmo.

Pode ser que o problema seja que o indicador social de "distância do poder" seja muito alta que acaba tendo essa mentalidade.
É bom esses trabalhadores aproveitarem o momento para conseguirem melhores salarios, pensões e legislação, pois isso não vai durar para sempre.
Legislação é dispensável. (Só precisa adicionar segurança no trabalho, limite diário e licença maternidade paga pelo estado)
Essas greves é o mercado se reajustando após a pandemia.
O governo deve só evitar bandidagem, violência e fraudes em contratos.
Responder