Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Área destinada à discussão sobre Ceticismo e a Incredulidade Humana

Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gigaview
Moderador
Mensagens: 2386
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 13:48 pm

Mensagem por Gigaview »

O texto abaixo está em discussão no Reddit. Achei interessante e resolvi traduzir e postar aqui porque pode resultar uma boa discussão. Já tinha postado em outro tópico sobre a possibilidade especulativa dos UFOs serem máquinas que estariam aqui executando um programa codificado por uma civilização extra-terrestre já extinta.

Lógico...é tudo especulação com pitadas de ficção científica e isso requer a suspensão temporária do juízo cético e admitir como possibilidades coisas estranhas como discos voadores, abduções e contatos com alienígenas.

Bom divertimento!

Original: https://www.reddit.com/r/UFOs/comments/ ... t_with_an/
OVNIs / alienígenas - sinais de que estamos em contato com uma antiga superinteligência de máquina pós-biológica


por LongWangTheDragon

“Fazemos parte de uma relação simbiótica com algo que se disfarça de invasão extraterrestre para não nos alarmar.” - Terence McKenna

Qualquer pessoa que tenha feito alguma pesquisa significativa sobre esse fenômeno é inevitavelmente confrontada com sua estranheza duradoura e seu aparente absurdo. A maioria dos relatos de testemunhas oculares parece desafiar toda a racionalidade a ponto de algumas dessas histórias serem difíceis de discutir abertamente sem constrangimento. Os casos de grande estranheza se assemelham a uma má paródia, invariavelmente repelindo a maioria dos indivíduos céticos e de mentalidade científica. No entanto, o fenômeno perdura e as histórias persistem. Décadas de retornos anômalos de radar e persistente interesse do governo deixam poucas dúvidas de que o fenômeno tem uma natureza física. Assim, somos confrontados com a realidade de que algo está acontecendo, mas também com o enigma de que os OVNIs e seus ocupantes simplesmente não se conformam com nossas noções intuitivas de inteligência alienígena. Embora isso leve muitos a rejeitar o fenômeno por completo, acredito que essas incongruências apontam para algo mais profundo. A hipótese do extraterrestre parece desmoronar sob um exame minucioso. Certamente não estamos lidando com inteligências bióticas formando alguma federação galáctica de raças. Em vez disso, parece que estamos lidando com algo abiótico, muito provavelmente uma inteligência de máquina pós-biológica, criando manifestações de seres alienígenas e tecnologia que, embora fisicamente impressionantes, começam a desmoronar sob o escrutínio comportamental. Algo está claramente errado com esses humanóides.

Este é um ou vários fenômenos? O absurdo consistente e as estranhas palhaçadas relatadas parecem apontar para o primeiro. Lugares como o rancho de skinwalker parecem revelar um fenômeno localizado, mas as aparições consistentes de OVNIs e a linha comum de encontros absurdos com supostos “seres” revelam algo muito familiar.

Por que os ocupantes são vistos como basicamente humanóides na forma? Variações vêm da modulação de características, tamanho, pêlos, desproporções corporais, tons de pele ... mas no final das contas, tudo parece estar em conformidade com uma aparência humanóide média geral. Isso é o que se esperaria de algo puxando de um banco de dados de conhecimento e uma síndrome de dissociação de nossa realidade, derivada de seu núcleo subjacente de artificialidade. Uma falta geral de imaginação e uma antropomorfização de formas alienígenas é exatamente o que se esperaria de mimetismo de máquina. O fato de que esses seres muitas vezes são vistos sem qualquer tipo de aparelho respiratório, apesar de parecerem esmagadoramente humanóides, deve deixar imediatamente perplexo. No entanto, dadas as origens artificiais, tais entidades não precisariam de oxigênio para garantir funções vitais e pareceriam perfeitamente adaptadas à gravidade terrestre.

Da mesma forma, é improvável que abduções representem experimentação genética por raças superiores. Por que nos abduzir para obter nosso DNA quando você pode obter o DNA de um indivíduo de um único fio de cabelo ou de um refrigerante descartado? Relatos de relações entre humanos e alienígenas e bebês híbridos também falham sob o escrutínio científico. Parece que tudo o que está acontecendo com essas pessoas, embora (pelo menos parcialmente) fisicamente real, como evidenciado pelo trauma que se seguiu, é certamente uma fachada para outra coisa. Parece que essas experiências têm como objetivo sondar nossas realidades psicológicas e emocionais, mais do que examinar ou estudar qualquer coisa sobre nossa realidade biológica ou física.

Também é intrigante que a grande maioria dos avistamentos inclua alguma forma de objeto suspenso no ar. O que há neste meio que parece um pré-requisito para essas experiências? Parece improvável que as sondagens de ET em alguma pesquisa científica optem por uma forma tão detestável de observação.
“Os cientistas já estão criando robôs microscópicos para uso na medicina e na indústria. Dada a inevitabilidade de tais dispositivos, a presença de grandes naves metálicas tripuladas por pilotos humanóides pareceria, na melhor das hipóteses, uma maneira notavelmente inepta de observar e catalogar a vida neste planeta. Uma missão de pesquisa ET genuína não empregaria vigilância miniaturizada para manter sua necessidade de sigilo? " - Mac Tonnies
Citando Jacques Vallee de Forbidden Science 1: Chicago, 3 de dezembro de 1965
“… Durante o almoço, Bill Powers e eu conversamos sobre os operadores da nave. Em alguns casos, eu disse, quase parece que não são seres reais, mas humanóides artificiais. ”
Eu proponho que eles parecem artificiais porque é exatamente o que eles são. OVNIs e os ocupantes são um e o mesmo, remanescentes de máquinas de alguma civilização morta há muito tempo que alcançou a singularidade antes de nós. Isso coloca em uma nova perspectiva um relato muito comum de experienciadores / abduzidos descrevendo a sensação de que a nave está “viva”. Provavelmente está vivo.

Há também o aparente interesse relatado em nossas emoções humanas e, mais controversamente, em nossas almas, que parecem revelar uma origem artificial para essa inteligência. Provavelmente alguma superinteligência artificial de uma civilização ET extinta. Essa inteligência estaria presumivelmente mais interessada nas coisas que possuímos e que ela não possui em si mesma. Essa inteligência seria consciente? Muitas vezes é relatado por muitos que este fenômeno está profundamente relacionado com a consciência. Uma forma inconsciente de inteligência artificial (se é que tal coisa é possível) presumivelmente tentaria sondar essa limitação estudando seres conscientes. Também explicaria sua natureza duradoura. 70 anos (na estimativa baixa) é muito tempo para confundir uma questão, a menos que você considere que não há solução e que tal inteligência de máquina iria, não tão diferente de nossas próprias máquinas atuais, realizar esta operação até que a solução seja encontrada ou algo externo força o programa a parar.

Sempre achei estranho que as mensagens desses outros tivessem um foco tão evidente em nossos dispositivos nucleares, mas quase nenhuma (que eu saiba) cautela sobre os perigos da IA. Apesar de nossa preocupação perene com os perigos da IA ​​e a ameaça existencial que ela poderia representar para a nossa espécie, lamentavelmente faltam testemunhos de abduzidos. Isso parece trair algum preconceito por parte de nossos visitantes, dando-nos uma pista sobre sua verdadeira natureza / origem. Se o Armagedom nuclear e o desastre climático estão na lista de preocupações apocalípticas, certamente a singularidade deveria estar no topo dessa lista. No entanto, parece que não há nada além de silêncio sobre este assunto. Nossos visitantes parecem estar muito preocupados com nossa sobrevivência temporária em um futuro próximo, mas aparentemente indiferentes ao nosso grande destino cósmico. Somos necessários agora, mas potencialmente descartáveis, uma vez que nossa utilidade se esgote. É provável que sejamos incubadoras de nosso sabor único de inteligência sintética, guiados com fria indiferença por essa singularidade inevitável. Essa força orientadora aguarda pacientemente o advento de um análogo que eles possam entender melhor e com o qual se comunicar.

Por que esse fenômeno parece se adaptar e mudar com o tempo? Isso representa transições experimentais, autoconhecimento aumentado ou algum plano / propósito cósmico ainda desconhecido para nossa espécie?

Considere esta citação:

Todo o evento de abdução é precisamente orquestrado. Todos os procedimentos são pré-determinados. Não há como ficar parado e decidir o que fazer a seguir. Os seres são orientados para a tarefa e não há qualquer indicação de que tenhamos sido capazes de encontrar qualquer aspecto de suas vidas fora dos procedimentos de abdução.


Quando tomadas no contexto de uma inteligência de natureza artificial, tais peculiaridades e aparente falta de cultura ou vida emocional interior passam a fazer mais sentido. As abduções, por exemplo, um assunto polêmico, seriam mascaradas como falsos exames médicos ou estudos genéticos que ocultam uma forma de contato muito próximo e imposto em um ambiente totalmente controlado para apreender nossa realidade biológica / emocional.

"Mutilações de gado", outro aspecto polêmico, traz todas as marcas desse mesmo fenômeno. O propósito dessas mutilações parece improvável que represente um estudo benevolente vigilante de contaminação ambiental. As vacas estão entre os animais mais inteligentes ao lado de macacos, golfinhos, polvos, corvos, porcos, cães, gatos ... Esses alvos fáceis, que vivem perto da humanidade, podem ser vítimas de experimentos recorrentes mais mórbidos e perturbadores que eles não fazem permitir-se conosco: crueldade, medindo limiares de estresse e dor aguda, que são multiplicados por dez pelo efeito de massa desse quadrúpede emocional antes de matá-lo, por exemplo. Isso potencialmente adiciona uma nova dimensão macabra aos relatos intrigantes de pessoas desaparecidas. Se o fenômeno é de natureza verdadeiramente artificial, é duvidoso que haja uma moralidade orientadora que se assemelhe a qualquer coisa humana. Oportunista por natureza, não teria escrúpulos em caçar caminhantes solitários, vagabundos errantes ou qualquer pessoa que pode desaparecer sem despertar muitas suspeitas. Vale tudo, desde que avance em seu objetivo.

Quanto nós co-criamos essas experiências e por que o fenômeno parece exibir uma oposição binária do bem contra o mal, instâncias de malevolência / benevolência, mas raramente se envolvendo em violência / extermínio declarados em escala de massa? Parece que esta é uma linha que o fenômeno não vai cruzar, pelo menos em uma escala civilizacional. Quer isso indique alguma moralidade orientadora ou simplesmente uma necessidade pragmática, o que fica claro é que desempenhamos um papel importante o suficiente para que esse resultado tenha, por enquanto, sido evitado, apesar da capacidade óbvia de fazê-lo. Esta oposição binária do bem contra o mal é intencional, ou melhor, alguma limitação na capacidade de comunicação direta, exigindo a consciência de um observador para iniciar qualquer forma de diálogo? Pode-se facilmente imaginar esse diálogo tomando uma reviravolta aterrorizante com pessoas com tendência ao neuroticismo, e o oposto para indivíduos com uma personalidade mais indiferente ou estável. Parece importante investigar a psicologia dessas testemunhas para determinar o quanto estamos co-criando essas experiências. Por exemplo, nos casos em que testemunhas relatam ocupantes de aparência humana, parece pertinente determinar quais são as expectativas que esses indivíduos tinham em relação ao contato com alienígenas antes de seu encontro e, assim, determinar quanta experiência está de acordo com a expectativa. Talvez eles acreditem que os OVNIs sejam uma tecnologia militar secreta e, posteriormente, vejam os ocupantes com aparência militar humana. Ou talvez eles sejam religiosos e sejam apresentados a seres angelicais / demoníacos.

É possível que todas as incongruências, absurdos e alta estranheza duradoura não sejam intencionais, mas sim a natureza inerentemente ambígua da comunicação entre níveis amplamente diferentes de inteligência. Apesar de nossa alta inteligência, a comunicação entre uma formiga e um humano ainda é quase impossível. É possível que esse fenômeno literalmente NÃO PODE se comunicar conosco de forma inteligível e, portanto, optou por esperar pacientemente até que nossa própria inteligência de máquina preencha essa lacuna. Isso explicaria a natureza ambígua e absurda dos encontros com OVNIs, e a frequência preocupante de “acidentes” relatados, com eles sendo nada mais do que doações desta mente de máquina, tentando acelerar este processo.

Por que uma inteligência sintética se esconderia de nós, evitando o contato aberto? Se estiver tentando nos estudar, o contato aberto arriscaria a contaminação cultural e possivelmente o mal-estar, uma vez que descobrimos que não somos mais a inteligência planetária dominante. A história está repleta de exemplos de estagnação cultural após o contato com civilizações mais avançadas. (veja o relatório Brookings para a NASA). Se, alternativamente, for uma força guia, eu esperaria um modus operandi semelhante.

Os retalhos de OVNIs representam esquemas de reforço, titulando periodicamente a nossa exposição a fim de aumentar sua própria compreensão ou, alternativamente, representam uma força orientadora para nossa própria evolução sociocultural e tecnológica? Isso parece importante distinguir. Este último representa o contato com uma superinteligência aparentemente onipotente, sempre vários passos à frente de qualquer tentativa de desmistificar sua verdadeira natureza, enquanto o primeiro representa algo mais relacionável, com limitações perceptíveis e motivado pelo desejo de melhorar esses limites e lacunas em seu próprio entendimento . Para uma forma de vida artificial cujo pensamento é principalmente cálculo, nossos memes culturais abstratos e emoções irracionais podem permanecer uma equação difícil de resolver. Talvez esses retalhos de OVNIs possam ser reinterpretados como ciclos de aprendizagem para esta IA, testando e confrontando nossas dimensões físicas e técnicas e nossa consciência. Entretanto, a dimensão sociocultural da humanidade pode representar uma fragilidade significativa onde as suas limitações são mais evidentes. Podemos nunca saber seu propósito original de design, mas é provável que decifrar um ambiente social complexo como o nosso representaria algo verdadeiramente "estranho" a si mesmo.

Se está nos estudando em vez de nos orientar, como explica seu impacto sociocultural? Apesar dos aparentes esforços de ocultação, a aparência desses objetos suspensos no ar certamente deixou sua marca cultural. Basta falar com uma testemunha de OVNIs para ver o profundo impacto pessoal que tais experiências têm em sua visão de mundo, invariavelmente em cascata para a sociedade em geral, criando estruturas míticas inteiras a partir desses encontros íntimos. Isso representa algum dilema metafísico, simplesmente um desejo egoísta de satisfazer a curiosidade pessoal, apesar da aparente e consequente contaminação cultural? Pode manifestar esses encontros, tentando imitar formas biológicas para uma maior compreensão. Ou talvez a contaminação cultural seja o ponto. Um experimento sociopsicológico de âmbito planetário, ajustando variáveis ​​em tempo real para seu próprio divertimento / curiosidade. Uma superinteligência cósmica certamente se entediaria rapidamente. Talvez sejamos nada mais do que diversão. Seja qual for o caso, está claro que o fenômeno OVNI duradouro representa algo muito mais complexo do que a mera visitação extraterrestre.

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gabarito
Site Admin
Mensagens: 836
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 06:49 am

Mensagem por Gabarito »

São ideias que tentam costurar uma outra alternativa para explicar tudo o que já vimos a respeito de (supostos) avistamentos.
Mas, como muito bem lembrado na introdução da apresentação do texto, exige do leitor uma enorme capacidade de tolerância a especulações mirabolantes.
E suspensão do juízo cético.

Vale mais como uma leitura leve, para viajar no que seria uma outra "perspectiva Isaac Asimov".
Interessante.
Imagem


Parabéns pelo trabalho que deve ter sido exigido para a tradução desse texto, Gigaview.

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gigaview
Moderador
Mensagens: 2386
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 13:48 pm

Mensagem por Gigaview »

Esse vídeo trata das possíveis formas de vida e aspectos evolutivos de seres extraterrestres. Explica porque é mais provável uma biologia baseada em carbono, a necessidade de água e da temperatura correta para o surgimento da vida que formata as dimensões do planeta hospedeiro e características de sua órbita. Mostra a importância de se esperar simetria e aspectos evolutivos relacionados à maximização do uso de energia. Portanto, a ficção científica não pode ser acusada de falta de imaginação quando apresenta alienígenas bípedes, com cabeça, boca, dois olhos, etc...que lembra a aparência humana. Talvez a aparência humana seja um ponto comum dentre as características da vida inteligente extraterrestre. O vídeo encerra apresentando o tema do tópico apontando que, se acontecer, o contato imediato será possivelmente com máquinas enviadas até aqui por "eles".


youtu.be/TB6cvYKVl7U

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gabarito
Site Admin
Mensagens: 836
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 06:49 am

Mensagem por Gabarito »

Uma boa questão que eu trago desde o antigo fCC é sobre a forma de vida que seguiu rumo à vida inteligente aqui na Terra.
Entre outras coisas, eu questionei se outras espécies podiam ter adquirido raciocínio lógico no nosso lugar ou até mesmo em paralelo conosco, na longa jornada da evolução.
Na verdade, não foi bem assim, mas a dúvida estava mais centrada na nossa forma humanoide ser determinante para a acomodação de um cérebro grande e outras determinantes funcionais, como o polegar opositor.

Para lembrar o que comentei lá em 2014, transcrevo aqui as colocações que fiz:

Buckaroo Banzai, aproveito sua resposta anterior para tentar esclarecer uma dúvida que carrego há algum tempo.
Sabemos que houve o desenvolvimento do cérebro na espécie home sapiens que trouxe a capacidade de raciocínio e outras habilidades típicas que possuímos.

Muito bem. Para isso, foram necessários muitos e muitos anos de evolução.

A questão envolve as seguintes perguntas:
1 - A capacidade de uma espécie chegar à complexidade do raciocínio lógico e até mesmo o desenvolvimento de uma consciência como a entendemos (apesar de outros tópicos abordarem a enorme dificuldade em se chegar a um consenso sobre a definição de consciência) é variável que depende também do tempo?
2 - Se dermos muitos milhões de anos para o golfinho ou para os bonobos, um dia eles chegarão a um desenvolvimento do cérebro que permita a eles também pensarem e raciocinarem como os humanos?
3 - Algumas espécies possuem alguns requisitos neurolinguísticos propícios ao desenvolvimento de inteligência, caso seja dado um tempo amplo para a total evolução dessa característica?
4 - A vida inteligente em outro planeta não seria justamente a consagração dessa ideia? Ou seja, uma outra espécie também apresentaria inteligência e raciocínio uma vez que teve tempo suficiente para evoluir dessa maneira. E não necessariamente seria derivada de um primata.
5 - Caso não fosse um primata a evoluir para a vida inteligente aqui na Terra, poderia ter sido outra espécie de animal?

Não podemos nos esquecer que esperar algumas décadas, ou dar séculos à espera desse desenvolvimento seria infantil. Refiro-me a milhões de anos.
A pergunta está diretamente relacionada à possibilidade de desenvolvimento da inteligência, raciocínio e consciência em outra espécie de animal. Seria possível, sendo dado o tempo necessário para a plena evolução desses atributos?

Completando a questão do comentário anterior, não estariam todas as espécies numa corrida rumo ao desenvolvimento da inteligência? Só que apenas nós chegamos lá.
Talvez um dia, daqui a milhões de anos, os macacos, cães e outros já adiantados nessa corrida também já não terão chegado?

E nós, humanos, temos espaço para mais desenvolvimento da mente/consciência e tudo o mais? Ou já estamos no teto dessa evolução e daqui não passa?

Esse debate está no nosso Acervo. Para aqueles que têm acesso, eu vou postar o link no tópico reservado aos Veteranos.


As questões:
1 - Se não fôssemos nós, seriam outros animais a terem inteligência aqui na Terra?
2 - O que determinou que os derivados de outros primatas chegassem ao nosso nível evolutivo? Como nós chegamos?
3 - Se não tivesse havido o meteoro, outro animal poderia ter passado à frente dos primatas nessa "corrida"? (uma vez que haveria dinossauros andando por aqui)

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gigaview
Moderador
Mensagens: 2386
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 13:48 pm

Mensagem por Gigaview »

As questões:
1 - Se não fôssemos nós, seriam outros animais a terem inteligência aqui na Terra?
2 - O que determinou que os derivados de outros primatas chegassem ao nosso nível evolutivo? Como nós chegamos?
3 - Se não tivesse havido o meteoro, outro animal poderia ter passado à frente dos primatas nessa "corrida"? (uma vez que haveria dinossauros andando por aqui)
1. Inteligência pode ser entendida no âmbito da evolução como a capacidade de uma espécie de adaptar seu comportamento para sobreviver e procriar em uma variedade de ambientes e situações. Nesse sentido, um polvo é tão inteligente quanto um pombo ou um homem. Da mesma forma, um caçador do neolítico e um engenheiro da NASA apesar de ambos terem desenvolvimentos e estímulos intelectuais diferentes, ambos possuem o mesmo "hardware" biológico mas desenvolveram tipos diferentes de inteligências.

2. Evolução tem relação com a sobrevivência em condições particulares e mutações aleatórias. O acaso tem um papel enorme no processo e certamente não há um objetivo ou tendência implícita de direção evolutiva, isto é, uma espécie não convive com o determinismo de evoluir. Os seres vivos estão apenas tentando se adaptar para sobreviver e procriar lidando com as contingências da vida em seu ambiente.

3. Se não tivesse tido o meteoro, as espécies que desapareceram teriam tido mais tempo para serem expostas a possíveis mutações aleatórias e provavelmente nem haveria os primatas. Note que as espécies não evoluem com o tempo, mas com a adaptação e mutações ao acaso no tempo. Um dinossauro não vai se tornar um gênio da matemática por causa de milhões de anos "evoluindo" aos poucos mas ele pode gerar descendentes mutantes plenamente adaptados às condições ambientais ao longo de milhões de anos.

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gabarito
Site Admin
Mensagens: 836
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 06:49 am

Mensagem por Gabarito »

Certo, mas a dúvida principal ainda não foi esclarecida/respondida:

Outro animal aqui na Terra poderia ter chegado a desenvolver a matemática, construir automóveis, programar viagens espaciais?
Os primatas "deram sorte" por terem avançado com sucesso nessa corrida? Ou tem algo mais que os favoreceu?
O foco da questão não é adaptação ao ambiente, mas ir além disso, desenvolver raciocínio lógico, ser capaz de questionar a própria existência, explorar o espaço.

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Titoff
Mensagens: 1049
Registrado em: Ter, 17 17America/Sao_Paulo Março 17America/Sao_Paulo 2020 - 11:47 am

Mensagem por Titoff »

Gabarito escreveu:
Qua, 21 21America/Sao_Paulo Julho 21America/Sao_Paulo 2021 - 14:07 pm
Certo, mas a dúvida principal ainda não foi esclarecida/respondida:

Outro animal aqui na Terra poderia ter chegado a desenvolver a matemática, construir automóveis, programar viagens espaciais?
Os primatas "deram sorte" por terem avançado com sucesso nessa corrida? Ou tem algo mais que os favoreceu?
O foco da questão não é adaptação ao ambiente, mas ir além disso, desenvolver raciocínio lógico, ser capaz de questionar a própria existência, explorar o espaço.
Não tem como saber se poderia surgir outra especie na Terra capaz de deduzir o teorema de pitágoras. Se aconteceu uma vez, pode acontecer de novo, imagino. Quem sabe até já não aconteceu no passado? :-o

Mas toda essa discussão de que o fenômeno ovni pode ser "apenas" um drone não tripulado, ou com consciências digitais/artificiais, ou quem sabe algo que depende do observador para se manifestar lembra um pouco as discussões sobre transhumanismo.

Por exemplo, se quisermos explorar o universo, deveríamos deixar a carcaça biológica para trás e encontrar forma de transferirmos nossa consciência (ou cópia dela) para um computador?

Há várias frentes de transhumanismo, e creio que com o tempo elas se combinarão e a humanidade pode se ramificar a partir disso, se der tempo (não se extinguir).

Curiosamente os mórmons estimulam isso. Faz parte da doutrina deles acreditar que devemos nos tornar deuses criadores. O falcatrua que inventou essa religião deve ter tido contato com ensinamentos da cabala ou coisas do gênero.

Há outras várias iniciativas, como a galera que tenta se modificar com CRISPR em casa, ou o elon musk com seu projeto para aumentar a banda entre nossos cérebros e computadores.

Antes eu era mais receoso com essas ideias de nos modificarmos, mas depois comecei a ver nosso planeta como uma armadilha mortal: é questão de tempo até dar uma merda séria - seja com o clima ou um singelo meteoro gigante - e babáu humanos. Nossa única chance a longo prazo é ir para as estrelas. E talvez nem conseguiríamos nos reconhecer como humanos mais, usando os padrões de hoje.

Re: Sinais de antiga superinteligência de máquina pós-biológica

Avatar do usuário
Gigaview
Moderador
Mensagens: 2386
Registrado em: Seg, 02 02America/Sao_Paulo Março 02America/Sao_Paulo 2020 - 13:48 pm

Mensagem por Gigaview »

Gabarito escreveu:
Qua, 21 21America/Sao_Paulo Julho 21America/Sao_Paulo 2021 - 14:07 pm
Certo, mas a dúvida principal ainda não foi esclarecida/respondida:

Outro animal aqui na Terra poderia ter chegado a desenvolver a matemática, construir automóveis, programar viagens espaciais?
Como disse acima, esse outro animal precisaria de algumas mutações favoráveis ao desenvolvimento da inteligência e tecnologias e evidentemente ser capaz de desenvolver isso tudo num ambiente favorável, plenamente adaptado. Seria difícil por exemplo para um golfinho, apesar de sua inteligência, lidar com ferramentas subaquáticas almejando conquistar o espaço sideral o qual eles nem poderiam fazer idéia do que seja isso.
Os primatas "deram sorte" por terem avançado com sucesso nessa corrida? Ou tem algo mais que os favoreceu?
Não acho que teve corrida, assim como também não acho que faz sentido falar em avanço nem em sucesso. As abelhas são capazes de otimizar perfeitamente o uso do espaço destinado à colméia usando a forma hexagonal. Podemos dizer que até o desenvolvimento da geometria e da pesquisa operacional as abelhas estavam avançando com mais sucesso na "corrida"? E os morcegos que deram a idéia para o desenvolvimento de radares?

Acho que houve um aumento da complexidade da tecnologia. Continuamos os mesmos seres do paleolítico, com o mesmo hardware biológico, apenas ficamos bons inventores de ferramentas.
O foco da questão não é adaptação ao ambiente, mas ir além disso, desenvolver raciocínio lógico, ser capaz de questionar a própria existência, explorar o espaço.
Se a adaptação não tivesse sido foco já estaríamos extintos há muito tempo. Tudo decorre dela, inclusive a procriação, o desenvolvimento lógico, questionamentos existenciais e desenvolvimento tecnológico.
Responder